Fórum da ONU prioriza erradicação da pobreza

Evento anual para discutir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) privilegiou questões como fome, saúde e bem-estar; urbanização não entrou na lista
socioeconomia, objetivos sustentáveis, ONU combate à pobreza

Ação envolve redução das desigualdades, o combate às mudanças climáticas e os métodos de crescimento estrutural / Foto: Mohri United Nations University

Da Redação

O Fórum Político de Alto Nível das Nações Unidas (ONU) de 2017, que ocorreu entre 10 e 19 de julho na sede da entidade, em Nova York, teve como tema “Erradicar a pobreza e promover a prosperidade em um mundo em mudança”. O evento contou com representantes de 44 países e focou nos tópicos de fome zero, saúde e bem-estar, igualdade de gênero, infraestrutura e conservação dos ambientes aquáticos.

A Cúpula das Nações Unidas determinou, em 2015, os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, conforme acordo estabelecido na Conferência Rio+20 (2012). Juntos a 169 metas correspondentes, eles formam uma agenda de diretrizes sociais, econômicas e ambientais a serem seguidas pela ONU e por Estados-membros até 2030. Esse curso global de ação envolve, principalmente, a redução das desigualdades, o combate às mudanças climáticas e os métodos de crescimento estrutural.

Anualmente, os países devem fornecer atualizações formais, em fóruns, sobre os esforços para implementar tais objetivos e os êxitos alcançados. Algumas questões são tratadas como prioridade nesses encontros, para que se possa debater os desafios e as estratégias mais profundamente.

O objetivo 11, referente à urbanização sustentável, não está explicitamente na agenda de 2017, embora haja o reconhecimento de que o progresso das cidades ao redor do planeta envolve todos os outros ODS e deverá ser abordado nos próximos anos. Especialistas acreditam que o cenário atual envolve a crescente discussão entre grupos envolvidos com esse tipo de projeto, a frustração por falta de infraestrutura global adequada para iniciativas de sustentabilidade, a necessidade de produzir mais ações e de divulgar exemplos inovadores.

Quando se fala em comunidades sustentáveis e nos demais objetivos da Agenda 2030, há um trabalho conjunto a ser feito entre lideranças (locais, estaduais e federais), entidades filantrópicas e sociedade civil, para que sejam definidas as melhores maneiras de interconectá-los em nome de um impacto positivo para a população. Segundo o Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty), esse debate engloba um panorama sistêmico de financiamento, transferência de tecnologia, capacitação técnica e comércio internacional.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) considera ainda que a educação é parte essencial do processo de mudança. Recentemente, foi lançada uma publicação gratuita para ser utilizada por profissionais da área, apresentando métodos para implementação das ODS em diferentes níveis, desde a formulação de cursos até estratégias nacionais. A ideia é aumentar a consciência da comunidade escolar, desde a infância, sobre a importância do desenvolvimento sustentável para o planeta.

Comentários