Sete passos para tornar a cidade sustentável

De acordo com a ONU-Habitat, 70% dos habitantes do mundo vão morar em centros urbanos

Cidades pelo mundo precisarão adotar políticas sustentáveis para o desenvolvimento do território / Foto: Wikimedia

 

Da Redação

Menos gente no campo e mais gente nas cidades. É essa a previsão das Nações Unidas para os próximos 35 anos, quando a população urbana deverá dobrar de tamanho e responder por 70% dos habitantes no mundo. O caminho que o Instituto Dialog acredita para que esse futuro seja harmônico e sustentável é o planejamento com muito estudo e o amplo diálogo social. E isso começa agora!

A gente listou abaixo os sete passos que deverão ser tomados nas próximas duas décadas para que as cidades possam ser de todos os habitantes, garantindo o acesso a todos os serviços, reduzindo desigualdades sociais e promovendo a sustentabilidade. Essas ações foram definidas pela ONU-Habitat e fazem parte da Nova Agenda Urbana, desenhada a partir da Habitat III.

1) Estudar o território

Para pensar em novas cidades, é importante conhecer também o passado. O primeiro passo para a implementação da Nova Agenda é o roteiro: como as cidades se desenvolveram e para aonde se deseja ir no futuro. A ONU-Habitat montou um que trata da urbanização no mundo. O documento traçou os avanços e carências para uma urbanização mais sustentável desde a Habitat I até, 60 anos mais tarde, a Habitat III.

2) Consultar especialistas

É importante conversar com pessoas que sabem o que estão falando. Por isso, o  segundo passo é a definição de um comitê preparatório para garantir a participação de especialistas para se pensar nas soluções. Isso faz parte da etapa preparatória dessa Nova Agenda, em que as cidades são repensadas para que todos tenham acesso à ela.

3) Ampliar o diálogo entre os setores 

Uma cidade desenvolvida tem diálogo entre todos os setores. Para uma economia sólida que tenha participação de toda a sociedade, é importante garantir interação entre os setores primário, secundário e terciário. Mais ainda: é importante garantir o diálogo entre poder público, sociedade civil e o setor privado.

4) Observar o andamento dos projetos da cidade

Para saber sobre um assunto e colocá-lo em prática, é necessário pesquisar, falar e ouvir. Por isso, é importante reunir representantes dos setores em audiências públicas para que o andamento dos projetos seja acompanhado por todos. Soluções interessantes podem surgir a partir desses encontros e garantir uma transparência dos trabalhos, bem como do arcabouço legal.

5) Pesquisar referências

Para ter base para mudanças, é preciso ter referências. Sendo assim, é importante levantar listas, pesquisas e dados de referência para efetivar a habitação sustentável. Esse conhecimento de práticas no mundo auxilia governos e sociedades a planejar moradias que se integrem bem ao território e se torne algo positivo para o habitante, integrando transporte urbano e desenvolvimento econômico de forma sustentável.

6) Propor unidade política

Países, estados e cidades com suas políticas alinhadas podem mover o mundo. Por isso, o sexto passo é estabelecer a políticas públicas que deixem as regras claras para o desenvolvimento e o planejamento urbano.

7) Desenvolver a economia com base na cultura local

Cada região tem suas especificidades. Captar necessidades e dimensões regionais para tornar as cidades mais economicamente sustentáveis é fundamental para desenvolver cada local de acordo com suas questões. É importante entender a cultura local e a melhor maneira de desenvolver formas de socioeconomia, empreendedorismo social, comércio, entre outras atividades que desenvolvam o território de forma positiva para todos.

Comentários