Qual cidade tem o transporte mais sustentável do mundo?

12,6 milhões de passageiros se locomovem diariamente na rede de transporte inovadora da 1ª colocada do ranking. Apenas uma cidade brasileira está no Top 50

De acordo com o estudo, locais que investem em mobilidade sustentável proporcionam à população mais qualidade de vida / Foto: Wikicommons

Da Redação

Hong Kong foi eleita a cidade com o transporte público mais sustentável do planeta em 2017. O resultado provém do Índice de Cidades Sustentáveis em Mobilidade, desenvolvido pela Arcadis, empresa de design e consultoria voltada para ativos naturais e construídos. A pesquisa analisou, com base em 23 indicadores, o sistema de transporte de 100 cidades e como eles se adaptam ao crescimento populacional, ao desgaste da infraestrutura, à urbanização rápida e às mudanças climáticas.

De acordo com o estudo, locais que investem em mobilidade sustentável proporcionam à população mais produtividade, atratividade e qualidade de vida. E não é porque uma cidade é considerada “rica” que tende a se destacar: o importante é alcançar um equilíbrio entre o social (implicações positivas sobre as pessoas), o ambiental (investimentos em energia limpa e controle da poluição) e o econômico (eficiências no sistema para facilitar o crescimento da economia).

Sendo assim, Hong Kong liderou o ranking por causa da rede de transporte bem conectada e inovadora, que é considerada barata para padrões internacionais e conta com 12,6 milhões de passageiros por dia – isto representa 90% de todas as viagens diárias da metrópole chinesa, a taxa mais alta de qualquer cidade do mundo. Cidades europeias também ganharam destaque na lista, ocupando sete das dez posições.

Veja abaixo o top 10 do Índice, no qual 100% indica a qualidade mais alta possível e 0%, a mais baixa:

O RANKING DA AMÉRICA LATINA

São Paulo foi a única cidade latino-americana a aparecer entre o top 50 do Índice, ocupando a 47ª posição. Apesar de ser a principal sede financeira do Brasil, os desafios enfrentados pela metrópole paulista resultam do crescimento sem planejamento: a parcela mais pobre da população vive nos subúrbios, enquanto o comércio e o trabalho se concentram no centro, o que força as pessoas a percorrerem longas distâncias diariamente.

LEIA TAMBÉM: Como é a rede pública de transporte de passageiros no Brasil?

De acordo com o estudo, é essencial investir mais em estratégias de desenvolvimento urbano que considerem o transporte público fora das áreas centrais, as melhorias nas ciclofaixas e a criação de um espaço mais preparado para os pedestres. Uma recente pesquisa de mobilidade mostrou que 83% dos cidadãos que usam carro (2,3 milhões de pessoas) estão dispostos a deixá-lo na garagem se houver uma opção melhor de transporte público, o que seria a chave para fazer de São Paulo uma cidade mais sustentável.

Acompanhando São Paulo nas cidades da América Latina mais sustentáveis em termos de mobilidade, estão Rio de Janeiro (63º lugar no top 100), Santiago (64º), Cidade do México (67º), Buenos Aires (76º) e Lima (90º).

 

Comentários